AMB Maranhão

Palavra do Presidente: a mulher e a medicina

O aumento significativo da participação feminina na profissão evidencia o espaço no universo da graduação e no mercado de trabalho.

O Brasil nunca teve tantas mulheres preparadas para o exercício da Medicina. O aumento significativo da participação feminina na profissão evidencia que elas, ao longo das últimas décadas, vêm assumindo cada vez mais espaço no universo da graduação e no mercado de trabalho.

Em novembro de 2020,segundo o Conselho Federal de Medicina, o Brasil passou a contar com 500 mil médicos, uma marca histórica. Os homens ainda são maioria entre os médicos em atividade no Brasil, porem esta distância em relação às mulheres vem se reduzindo ano a ano. Em 2020, os homens representavam 53,4% da população de médicos e as mulheres, 46,6%. Há cinco anos, na pesquisa de 2015, médicos homens somavam 57,5% do total, e as médicas, 42,5%. Trinta anos atrás, em 1990, as mulheres eram 30,8%. Nos grupos mais jovens, as mulheres já são maioria, representam 58,5% entre os médicos de até 29 anos e são 55,3% na faixa etária de 30 a 34 anos. No grupo com idade entre 35 e 39 anos, há um equilíbrio numérico entre os gêneros, com 49,7% de mulheres, e já são maioria em 13 das 52 especialidades. É o caso da Pediatria, na qual cerca de 70% dos 43 mil pediatras são mulheres. Percentuais importantes de participação feminina também são percebidos na Medicina de Família e Comunidade (54,2%), Clínica Médica (54%) e Ginecologia e Obstetrícia (51,5%). No Maranhão as mulheres somam 39,5% dos médicos.

Apesar desta maior participação, as mulheres ainda enfrentam problemas históricos. Têm quatro vezes mais chances de serem menos remuneradas do que os homens. As mulheres médicas ocupam, em média, pouco espaço em postos de comando de hospitais, clínicas e outros estabelecimentos de saúde e, exceções, e nas presidências e diretorias das principais entidades que compõem o movimento médico.

A boa noticia, é que cada vez mais, as mulheres têm superados estes obstáculos e assumido um papel de protagonismo e liderança, em todas as esferas da medicina. A Associação Medica do Maranhão, tem trabalhado fortemente pela justiça e igualdade entre médicas e médicos em todos os aspectos da carreira médica, e estimulado ativamente pela maior participação das médicas na sua Diretoria.

Desta forma elas, poderão influenciar com sua visão de mundo, forjadas na experiência, na solidariedade e no compromisso com o próximo, debates e tomadas de decisões, contribuindo para a defesa dos interesses da Medicina, dos médicos, dos pacientes e da população.

Jose Albuquerque de Figueiredo Neto

Fontes: Demografia Medica-CFM/USP

Postagens relacionadas

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.